quarta-feira, 22 de abril de 2009

Eu, o condoriri, os animais, e mais ninguem!

Apos a investida que me deixou um bocado pra baixo no Condoriri, o Pequeño Alpamayo e o sonho postergado, voltei ao Condoriri 3 dias depois, sozinho. Literalmente!

Nao havia ninguem no acampamento base, nao havia ninguem indo e vindo, os donos das lhamas, ovelhas e mulas estavam dentro de suas casas...So eu. Perfeito.

Combinei com um taxista me pegar no albergue as 7am, me levar ate Tuni, me esperar e depois me trazer de volta. Tudo isso por 400 bolivianos. Caro? Acho que nao...mas isso e so um detalhe.

Acabou que o cara se atrasou por uma hora, so me pegando as 8am. Tudo bem, consegui por isso um desconto de 30 bolivianos, simbora.

Dessa vez, nada de guia, nada de cozinheiro, isso e luxo demais. Queria contato 100% com a natureza. E consegui.

A intencao era o Cerro Austria, uma montanha bela bem ao lado da Asa esquerda (olhando da trilha vindo de tuni) da asa do condor. Suas rochas negras me chamaram muita atencao e ontem a tarde pensei: "por que nao?". E isso ai!

Pedi informacao ao Erwin, o guia que me levou ao Tarija, sobre a trilha. Ele me deu todas as dicas e assim sendo, fui munido de informacoes valiosas pra atingir o cume da montanha. So um detalhe, mudei a rota. A trilha tradicional comeca no acampamento base mesmo, mas fiz diferente, comecei com um ataque frontal. Assim enfrentaria mais desnivel mais rapido, ganhando altitude rapidamente sem ter que contornar toda a laguna, acredito que com isso economizei uma meia hora ou quarenta minutos, visto que o trekking de Tuni ate o AB custa cerca de duas horas a duas horas e meia.

Pois bem...rapidamente ganhei altitude frontalmente, a montanha cresceu nos meus olhos e pensei "ops, melhor cruzar com a rota normal" he he he e o fiz. Virei levemente para a direita e depois de mais uns vinte minutos encontrei a rota normal e a segui.

Nao ha grande dificuldade no Cerro Austria, e uma montanha facil. O unico problema obviamente e a altitude, e a maldita falta de oxigenio, fora isso, com calma se chega la.

Em apenas uma hora cheguei a base da montanha, bem entre a montanha da direita e o Austria. Descansei por uns dez minutos olhando as biscatyjas (tipo de coelho selvagem com rabo de esquilo! Nao sei se esta escrito correto) indo pra la e pra ca como se estivessem absurdamente ocupadas...rs

Levantei e segui adiante. Depois de mais uma hora cheguei ao ponto mais culminante dessa trilha, que e a divisa entre os dois vales, o vale do Condoriri e o Vale bem a frente da cabeca do Condor. A visao? Simplesmente inacreditavel...sensacional...Mais dezenas de cumes, e a montanha imediatamente a frente tem a cor das rochas quase azulada! A geleira ao pe do Condor e linda demais, com incontaveis gretas...

Virei a esquerda e pude ver a continuidade do caminho. Faltava pouco, o relogio ja marcava 5.150m, ajustei quando cheguei a Tuni pra ter precisao na medida do pico, ja que nao encontrei uma referencia exata de sua altitude.

Dali pra frente so foi alegria, quando passei pela placa dedicatoria ao Keith vi que estava perto. Levei so mais 40 minutos ate cume! Ha dois totens, um de rochas quadradas uma em cima da outra, so uma meia duzia, e o maior que marca o cume propriamente dito, tao alto quanto um homem baixo. Fiz minha parte e coloquei mais uma pedra!

Comecou a nevar nessa hora pela terceira vez, e o frio foi forte, -7 graus. Tirei algumas fotos, virei as costas e desci pois o tempo estava muito ruim mesmo.

Levei duas horas de trekking ate o AB, mais duas horas e cinquenta minutos ate o cume, e somente cinquenta e cinco minutos pra descer da montanha, entrando novamente na trilha para pegar meu taxi que me esperava no vilarejo.

Foi uma experiencia sensacional, renovadora! O cume apontou no meu relogio 5.315 msnm, vou considerar essa como sendo a altitude. Se alguem souber a correta pode me avisar!

Quando estava na trilha comecou a nevar pela setima vez, e dessa vez forte, com muito vento. O frio foi pesado e coloquei todas as minhas protecoes. Felizmente durou pouco, so uns dez minutos, porque a tormenta vinha no sentido do Condoriri, e eu indo no sentido de Tuni. Forcas contrarias...

O pior de tudo foi ter que ficar empilhando pedras ou armando o tripe pra bater as fotos...fora isso, tudo perfeito!

Bem, quase tudo. Esqueci de um detalhe: o transporte. Combinei com um cara certo? O cara se atrasou e quando chegou veio de Vitara! Quando olhei meu primeiro pensamento foi "hmmm, carro bom!". Depois de alguns minutos me dei conta de que isso nao era bom, carro bom significa muitos cuidados com o carro. O cara era completamente cheio de dedos com o carro. Qualquer buraco, por menor que fosse, ele praticamente parava o carro. Aff...ninguem merece. Na volta entao tive que ameacar nao pagar tudo pra que ele passasse de 60km/h, porque eu estava literalmente morrendo de fome...So entao ele passou a terceira marcha...

Bem, e isso ai...sem muita demora: PROJETO CONCLUIDO! Vou pra casa porque minha mulher ja esta quase me dando um aviso previo he he he

Cerro Austria. Macico do Condoriri.
5.315 msnm
Temperatura no cume sem vento: -7 graus.

33.252 metros, projeto concluido!

Abracos a todos! Vamos as fotos:


Eu a caminho de meu objetivo (marcado na foto)



Na frente da laguna e ao fundo a geleira que acabou comigo he he he



La cumbre! 5.315 msnm



Sinal do Parofes!



A altitude.



Bela vista do cume, mesmo com nevasca



O segundo totem.

6 comentários:

Ket Camargo disse...

Êeeeeee!!! Voltou rapidinho, hein! rs
Bjo

Eliza disse...

Belas fotos, belas conquistas, boa viagem de volta, melhor volta rápido, com aviso prévio não se brinca, hehe...
Bons ventos sempre

tati disse...

Fotos maravilhosas..parabéns pela conquista.

Reginaldo Carvalho disse...

Legal Parofes realmente o Austria é uma montanha tranquila que possui uma panorâmica de tirar o fôlego, principamente para o majestoso Condoriri.
Perdón o meu mail é montecarvalho@ig.com.br
Boas escaladas!!!
Reginaldo

Sávio Furtado disse...

Olá, seu blog é muito bom, é admiravel ver pelas fotos algumas experiencias que vc teve, eu to entrando nesse rumo de mochilar, to muito perdido ainda, moro na argentina ha 3 meses e nao to nada confortavel, to querendo voltar ao brasil mas antes disso quero mochilar, tenho muitas duvidas e nem sei por onde começar, queria começar pelo uruguay já que é mais perto, gostaria de falar com vc se possivel pra tirar algumas duvidas e me dar algumas orientações, pode ser?
abraço

tati disse...

Que isso..obrigada vc...mas respondendo sua pergunta..não, eu não o conheço..mas o encontrei aqui nesse grande universo de blogs..e achei o seu blog interessante..e de quebra posso viajar pelo mundo através dele,na certeza que farei isso pessoalmente um dia.