quinta-feira, 11 de março de 2010

"Descanso" em San Pedro de Atacama - parte 2

Continuando...

Se arrastando, Chris e Rachel chegaram ao cume. Queriam se sentar mas nao deixei, primeiro dei um abraco caloroso e parabenizei pelo esforco psicologico que tiveram. Depois bati um rapido papo pra ver como estavam e alguns minutos depois pedi que fizessem minha foto de cume, pois eu ja havia feito cerca de 35 fotos incluindo uma panoramica do cume com 5 partes.


O video da chegada ao cume, o Pedro ja estava sentado la!


E claro, ambos nao aproveitaram nada do cume. Eu estava feito barata tonta andando todo o contorno da cratera que e relativamente pequena, deve ter uns 100 a 120 metros de largura. Fui ate a outra extremidade, fiz uma foto da face sul levemente nevada, fiz uma foto de antigas ruinas no cume, da laguna verde, do Sairecabur...Pirei.


Laguna verde desde o cume



Laguna na cratera do Licancabur, tem uns 40 metros de diametro.


Ja tinha terminado minha sessao de fotos depois de uns 40 minutos andando pelo cume me sentei e fiz um lanche. Chris e Rachel continuavam sentados tentando se recuperar pra descida, so se levantaram pras fotos de cume o que levou so uns 3 minutos.

Gabriel dormia profundamente, Pedro quieto encostado no totem, eu comendo e olhando ao redor...

Nao sei ao certo, mas acho que ficamos no cume cerca de 1h e 20m. Bastante tempo e importante pra dupla se recuperar depois de comer algo. Depois disso comecamos a descida por uma rota diferente da subida. Ali era possivel a descida rapida via ski bota e no inicio ate que fiz isso, mas depois nao mais.

O motivo foi a dupla britanica. Ainda estavam muito cansados. Pedro descia quase correndo, eu ia atras e depois de mim eles e por ultimo Gabriel. Entao eles comecaram a reclamar do guia local, Pedro, dizendo que ele estava se exibindo descendo tao rapido. Expliquei que nao tem nada a ver, todo andinista (senao quase todos) gosta de descer assim rapido, e divertido e agiliza muito mais chegar a comida no acampamento ou refugio. Nao adiantou, eles nao entenderam.

Por isso fui descendo mais devagar pra ajuda-los em caso de algum problema. Gabriel vinha fechando o grupo.


Algum gelo lutando contra o calor atacameño.


A partir dai o cansaco irritou mais ainda os dois que so reclamavam o tempo todo. Chris que tinha sido educado e sequer falava palavroes comecou a soltar um monte de "fuckin' el" (jeito ingles de falar fuckin hell) a cada vez que escorregava. Rachel ate que estava calma e descia mais tranquilamente.

Eu ainda tentava fazer com que mudassem de ideia dizendo "Chris e Rachel, voces ja pararam pra pensar que acabaram de escalar o lindo vulcao Licancabur? Seu record de altitude! O esforco que fizeram e estao fazendo e o preco a se pagar! Vamos la, falta pouco...". Com a Rachel isso funcionou mas o Chris estava super irritado...

Parei de dar ouvidos e me concentrei na minha descida. Depois de duas horas chegamos a base do vulcao, proximo as ruinas inkas que ficam ali. Fiz algumas fotos e continuamos. Ai que parei e prestei atencao, eu nao estava cansado! Como pode??!!


As ruinas do Licancabur.


Fomos embora, dali ate o carro do guia Pedro que ja estava la foi so mais uns dez minutos. Quando la chegamos olhei pro Licancabur, fiz uma ultima foto com a lua sobre o cume, me ajoelhei e agradeci a montanha por me permitir subir e descer com seguranca. Nao, dessa vez nao chorei he he he



Esta e a foto com a lua sobre o cume.


Entramos no carro e fomos embora. Meia hora depois estavamos no abrigo, fomos surpreendidos com costelas de llama! Ahhhhhhhh inacreditavel! Alguem ai tem nocao de como e bom descer da montanha e comer costela de llama??????? ahahahahahahha


Que maravilha!


Acompanhando as costeletas, tomate fatiado e coca-cola gelada. Melhor impossivel. A essa hora finalmente o animo da dupla melhorou e comecaram a fazer piadas, ja nao era sem tempo! Comemos desesperadamente, nos arrumamos e pegamos uma nova carona ate a fronteira boliviana para novo carimbo no passaporte, de saida.

Nessa hora senti uma dor na virilha, forte! Esforco fisico. O sangue esfriou, a adrenalina cedeu e senti. Nossa como doia...2 comprimidos de Dorflex pra aliviar. Na fronteira bati um longo e amigavel papo com o militar que ao ver no meu peito a bandeira boliviana puxou assunto. Ficou feliz ao saber que eu era brasileiro e que tinha um carinho especial pelo seu pais. Me abracou e tudo!

Passaporte carimbado, pegamos a van pra San Pedro onde novamente carimbei a entrada no Chile. Minutos depois estava na Tocopilla, rua onde fica o albergue que estou.

Mais um sonho realizado, estou super feliz e agora ja recuperado da dor na virilha, espero por companhia para a proxima investida que ainda e incerta.

Finalmente posso dizer, escalei o vulcao Licancabur!

Abrazos a todos.

Paulo

6 comentários:

Bea disse...

ai queridinho, mas que coisa boa essa tua subida até o lica. parabéns! é uma das minhas metas, ainda chego lá! tu é muito divertido, pauleca. em certos trechos da descrição dei gargalhadas. e como tens paciência, eu teria deixado pra trás aquels dois ingleses mal humorados!!
abração!!

Anônimo disse...

Legal parofes, mais uma vez, de um em um o Parofes enche sua lista!!!
Estou planejando escalar o Llullaillaco em 2011 e quero me aclimatar na região de San Pedro.
Quando voltares pro Brasil queria umas dicas.
Bons ventos.
Reginaldo Carvalho - Joinville SC
montecarvalho@ig.com.br

tacio philip disse...

Show! ótima escalada! Aclimatação é tudo!!!
abs!!!

Wéll Bericat disse...

Parabens Paulo...
O Lican. realmente é muito bonito, na minha opinião o mais bonito da região..
Abç

Eliza disse...

Ótimo ler seu Blog, em meio a suas conquistas e belas fotos, abstraindo é claro na sua postagem sobre roubos, prostituição consegui relaxar e ver coisas bem positivas...como a força e a determinação de quem sobe montanhas...
Parabéns pelas conquitas e pelas fotos...(Morro de inveja quando alguém sobe um vulcão, eu que estudo eles ainda não subi nenhum, rsrs).
Quanto a minha postagem, vc me instigou a refletir ainda mais, os alunos, o desinteresse...as drogas mais interessantes que as possíveis descobertas... é uma situação difícil e delicada para o professor...
E as epecializações... Realmente não sei até que ponto a verticalização da ciência é algo bom,,,
Valeu pelas palavras e pelo relato de sua experiência com as aulas, não sei se isso me incentiva ou desincentiva
Abração e ótimos ventos!!!

Anônimo disse...

hmmm carne de llame deve ser boa mesmo.
se de alpaca é...

linda a laguna verde!!!

beijos, te amo
Lili